Como garantir seu investimento em Infraestrutura de IIoT

Como garantir seu investimento em Infraestrutura de IIoT

Ninguém pode negar que o ganho que as empresas obtém com o uso IIoT (Internet Industrial das Coisas) hoje é imenso, entretanto como sendo uma tecnologia nova e em constante evolução, os investimos em IIoT são uma grande preocupação das empresas.


Devido a essa preocupação que as empresas tem em perderem o investimento e a utilidade dos dispositivos IIoT, algumas adiam as aquisições ou em alguns casos desistem da aquisição mesmo que elas ofereçam um grande ganho para as empresas.


Então vamos discutir um plano para ajudar as empresas no processo de aquisição e de garantia de vida longa para os dispositivos IIoT.


O que causa a obsolescência das soluções IIoT?


Uma solução IIoT pode perder sua funcionalidade por várias razões, como as descritas abaixo, mesmo as mais robustas estão fadadas a se tornarem obsoletas devido ao crescimento do mercado e a velocidade das atualizações.


Tecnologia ultrapassada – Surgimento de novas soluções melhores e mais atuais ou mudanças de padrões.


Segurança e Proteção – Ataques virtuais, falta de padrões de segurança para os dispositivos.


Evolução dos Processos Industriais – Novos cenários para aplicação ou mudanças nos requerimentos do usuário.


Baixa Aceitação do Mercado – Vendas baixas, preços altos e competidores.


Mudança do Fornecedor – Muitas alterações no produto, mudança de foco ou evolução para ganhar da concorrência.


Baixo Retorno – Alto custo de implantação com ROI baixo.


Regulamentação e Leis – Leis governamentais, patentes em discussão e processos judiciais.


Falta de Suporte – Sem suporte especializado ou de péssima qualidade.


Por exemplo, hoje existe uma grande variedade de protocolos de conexão, cada um possui suas vantagens e desvantagens, mas em algum momento um protocolo ou um conjunto menor destes se tornará o “padrão” sobre os outros e fará toda a mudança no mercado.


Os maiores fornecedores de dispositivos IIoT atualmente tem um Market Share baixo, porém existem startups ganhando território e isso pode levar a aquisições ou fusões que irão alterar os produtos IIoT existentes.


O que é garantia de vida longa?


É proteger o investimento contra consequências no futuro, olhando para tecnologia nada mais é que proteger contra obsolescência prematura.


Por causa do alto custo das novas tecnologias, muitas empresas veem a obsolescência como má. Garantir um vida mais longa para os dispositivos possibilita redução de custos e um maior retorno sobre o investimento (ROI).


Hoje as companhias em suas áreas produtivas (chão de fábrica) tem processos e regras em uso, então quando algo (dispositivo ou equipamento) chega ao fim do seu ciclo de vida, a transição para um novo demanda diversas atividades como garantir que os processos em operação, as pessoas, não percam o foco, essa transição demanda um tempo para entrar em operação que pode levar meses (as vezes anos) para ser totalmente implementada, para dificultar ainda há o período em que o antigo e novo dispositivo irão coexistir.


Garantia de vida longa para o IIoT não é tentar prever o futuro, nem comprar um volume de dispositivos para evitar a mudança, veja não é tentar evitar a mudança. Garantir vida longa é tentar prever mudanças bruscas na solução escolhida durante seu período de operação, para não ter que comprar outra em curto espaço de tempo e mitigar os impactos de uma mudança na solução que ofereça riscos os processos produtivos.


Garantia de vida longa é uma estratégia para gerenciar o ciclo de vida da solução. Ele deve ser um processo continuo, onde deve se focar em flexibilizar as mudanças e minimizar os riscos.


Como deveria ser uma infraestrutura IIoT com garantia de vida longa?


No planejamento da infraestrutura de IIoT deve-se ter muito bem mapeado os requerimentos chaves e as definições das características. Estas características devem incluir:


Utilizável – A infraestrutura e a solução devem atender todas as funcionalidades sem perdas.


Escalável – Tem que suportar incrementos na solução e infraestrutura.


Suportável – Tem que haver suporte para os problemas técnicos, performance e confiabilidade.


Modificável – Oferecer facilidades de migração para novas soluções conforme a agenda de crescimento.


Econômica – O custo total de propriedade deve-se manter dentro dos orçamentos previstos.


Como garantir vida longa para a sua Infraestrutura de IIoT?


Mudanças são uma constante e não devem ser evitadas, como já citado acima. O princípio por trás da garantia de vida longa para a infraestrutura de IIoT é gerenciar bem as mudanças que irão ocorrer. Este princípio reconhece que toda solução tem seu ciclo de vida funcional e que essa função e utilidade de hoje pode esta obsoleta em breve e consequentemente descartada amanhã.


Um planejamento de garantia deixa a empresa com mais opções e flexibilidade, isso auxilia a gestão a gerenciar bem sua infraestrutura de IIoT por completo, e não por componente.


Abaixo a figura demonstra os três passos do processo, o processo deve ser rodado no mínimo semestralmente e não somente uma única vez e pronto.


Planejamento e Design


O primeiro passo é identificar as infraestruturas de IIoT que atendem as suas necessidades e coloca-las em uma das categorias da tabela abaixo. As linhas representam o nível garantia necessário e as colunas o tempo que será utilizada a solução.


Essa categorização deve ser feita em conjunto com áreas de TI, operação e as unidades de negócio da corporação. Para determinar deve-se usar as seguinte considerações:


Usabilidade/Funcionalidade – Estar de acordo com os padrões mais utilizados, ter performance frente as necessidades e os SLAs e ser ágil.


Escalabilidade – Ter habilidade de atingir os requisitos atuais e futuros, antecipação frente as mudanças.


Suporte – Ter recursos confiáveis e com expertise.


De fácil transição – Possuir tecnologia independente e garantias contratuais.


Economia – Ter custos de manutenção estáveis, taxas de licenciamento únicas ou definidas em contrato, custo de reposição e transição de acordo com o mercado.


Fontes e Aquisições


Uma vez que as tecnologias forem corretamente categorizadas, o segundo passo é adquirir as soluções necessárias, sejam de hardware ou software. Isso requer uma estratégia de compra que será executada durante o período de uso desejado.


Temos que definir uma estratégia de monitoração dos fornecedores (fontes) para a soluções escolhidas, e posteriormente uma estratégia para as aquisições durante o período de uso da tecnologia, com a definição do momento das aquisições, margens de preço, mudanças cambiais e de mudança da solução.


Algumas dicas para montar esse plano:


· Estocar peças de reposição que serão necessárias no futuro;


· Colocar ordens de compra assim que detectar uma mudança de versão que possa descontinuar a solução;


· Encontrar fontes que recondicionem a tecnologia;


· Fazer contratos de leasing com características técnicas que tenham que ser atendidas, forçando as fontes a manter a tecnologia ativa;


· Assinar contratos de garantia de fornecimento da tecnologia com as fontes.


Suporte e Acompanhamento


O terceiro passo para garantir a vida longa da tecnologia de IIoT é manter a mesma operacional durante o tempo definido. Esse processo é relativamente fácil enquanto os fornecedores da solução mantem a tecnologia ativa e no mercado.


Contundo, os fornecedores sempre buscam estar competitivos e constantemente lançam novas versões e consequentemente descontinuam as versões que não tem mais mercado, com isso se perde o suporte e o conhecimento sobre a tecnologia. Este problema pode se ampliar se a descontinuação acontece muito longe da sua definição de tempo.


Para tentar manter a infraestrutura e a solução de IIoT operacional durante o tempo, pode-se usar algumas das seguintes ações e táticas:


· Manter as atualizações de firmware e de produto em dia para maximizar a utilização, alguns fornecedores continuam liberando atualizações para produtos descontinuados e novos paralelamente;


· Quando possível adquirir extensões de garantia e manutenção para garantir o suporte;


· Desenvolver a capacidade de fazer o suporte e manutenção internamente;


· Negociar contratos específicos de suporte com o fornecedor ou com seus parceiros.