Inovações Sustentáveis, Negócios Duradouros

união

Inovações Sustentáveis, Negócios Duradouros

O conceito de sustentabilidade é questionado desde o momento de sua criação. O foco tem sido o estabelecimento de uma única definição que abranja todos os aspectos da sua criação, em resumo um conceito onde sustentabilidade remeta a preocupação com o meio ambiente, com o desenvolvimento contínuo das organizações levando em considerações aspectos ambientais bem como com a cultura do cidadão frente à ações voluntárias no que tange a preservação da espécie e o meio onde vive.

 

O principal aspecto na ótica das organizações é a capacidade das mesmas em seus negócios, criarem uma nova maneira de desenvolvimento, que revolucione o conceitos de sobrevivência, onde sobreviver significa preocupar-se com a sua própria continuidade de negócios como também com a sobrevivência das gerações futuras. A organização que não estiver adequada aos novos conceitos de sustentabilidade e aplicações de inovações sustentáveis está fadada a perder competitividade no mercado.

 

Se dividirmos a sustentabilidade em três pilares: econômico, ambiental e social, onde o econômico o foco é sustentar os negócios e as instituições através de produções, valores e o próprio crescimento; ambiental, refere-se a sustentar o planeta, focando principalmente nos elementos naturais: agua, ar e terra; social guiado em sustentar os negócios s instituições.
 

Os conceitos apresentados tornam a definição de sustentabilidade o quanto complexa e subjetiva, o fato é que a sustentabilidade está cada dia mais incorporada em todos os processos de decisões e cada vez mais surgem fóruns multilaterais enquanto as organizações apoiam as inciativas em benefício da sustentabilidade. Entretanto, nenhuma instituição questiona a necessidade de se atingir o ideal da sustentabilidade, mesmo com a ambiguidade da definição.
 

O tema inovações sustentáveis, nesse cenário, têm sido abrangente e discutido energicamente em relação às dimensões econômicas, tais como competitividade e investimentos, contudo o foco na inovação tem gerado a oportunidade nas organizações de contemplar amplamente a noção de desenvolvimento sustentável. Outro aspecto pouco discutido, mas levado em consideração quando referenciada a inovação sustentável é a ética. É um alicerce estratégico para assegurar uma relação de parceria, segurança e confiança entre as organizações, por tratar de questões de conduta nos negócios, do combate à corrupção e ao suborno e da transparência e do caráter dos processos.

 

Em relação ao cenário inovação sustentável no Brasil, o documento que rege e aponta os caminhos para a ciência, tecnologia e inovação é o Livro Branco. Nele estão os preceitos necessários para que as políticas brasileiras contemplem a inovação sustentável. As boas práticas para a inovação sustentável passam a regulamentar as práticas dos fornecedores, o impacto dos transportes desde o recebimento da matéria-prima até a entrega ao cliente, as questões sócio ambientais relacionadas à embalagem, o descarte do produto ao final do uso, o efeito do uso/consumo dos novos produtos na sociedade e no planeta, o ciclo de vida dos produtos, os impactos dos projetos em toda a cadeia de valor, a origem e a forma com que são obtidas as matérias-primas utilizadas para fabricar novos produtos e o consumo energético no processo de transformação.

 

Em linhas gerais, a inovação tecnológica, sustentável, social e econômica inter-relacionadas precisam ser consideradas em seu contexto mais amplo, para que a inovação de fato seja classificada como sustentável. Contudo é provável que economicamente seja inviável o conhecimento de todos os aspectos de um negócios, mas a princípio ao menos as dimensões ambientais e sociais mais evidentes devem e podem ser tratadas integralmente. Em resumo, reduzir o impacto em uma área de atuação e cria-lo em outra não tona qualquer ação, mesmo que inovadora, sustentável.

 

Acredita-se que somente com o desenvolvimento da consciência de cidadania poderá dar a força necessária para fazer evoluir a aplicação do ideal da sustentabilidade. Por fim, não basta apenas pensar em uma solução imediata para os problemas imediatos, mas sim compreender que a sustentabilidade abrange diversas áreas do conhecimento, e que deve haver uma educação que prepare a velha e a nova geração para estes desafios cada vez maiores que a sustentabilidade representa.

 

Currículo:

Rodrigo Peter Schilling, é um empreendedor, apaixonado por negócios e pela vida. Fundador da Effortt Brasil, uma empresa de consultoria CO-CRIATIVA em gestão de negócio com Know-how nas melhores práticas de Inovação, Governança, Projetos e Processos. Formando em MBA Coaching e Liderança e MBA Executivo de Gerenciamento de Projetos é certificado internacionalmente na Gestão de Nível de Serviço (ITIL), Gestão da Tecnologia da Informação (CobIT) e norma de Qualidade de Serviços (ISO 20000). Também atua como professor/palestrante em instituições de ensino nos cursos de MBA e Pós Graduação nas disciplinas relacionadas: Governança Corporativa, Inovação, Governança de TI, Gerenciamento de Projetos, Planejamento Estratégico, Modelos de Negócios Digitais e Marketing Digital.